segunda-feira, 20 de novembro de 2017

MOVIMENTO EM SÃO JOSÉ DO EGITO: "SOMOS TODOS TADEU DO HOSPITAL"


Em São José do Egito-PE, terra da poesia, a "governabilidade" e a "governança" são atropelados pela administração, sempre carregado da protuberância dos que comandam em relativas afrontas aos comandados.
Segundo informações nos carreado por pessoas politicamente influente de São José do Egito, na terça-feira passada, o Prefeito convidou o Sindicato dos representantes da Educação no município, juntamente com os supervisores e Vereadores, para esclarecimentos sobre os atrasos no pagamento. Na tentativa de obter reais informações, o Vereador Tadeu do Hospital, interpelou a Secretaria de Educação, Senhora Roseane Borja, inclusive fomentando de que o número de contratados pela pasta possivelmente estaria levando-a a não cumprir com os compromissos de gestão financeira pela Secretaria de Educação, gerando os problemas ora desagregadores e descredibilizando a gestão como um todo.
Num surto de pura irracionalidade política, a Secretária de Educação lastreou garganta afora de que "não daria respostas a um analfabeto", esquecendo-se ela, que o Vereador, constitucionalmente, tem o "dever" de fiscalizar e negar-lhes informações tipifica-se como crime. O vereador, por exercer a fiscalização dos atos do Executivo, tem o direito de pedir informações ao prefeito. E este tem o dever de prestá-las, sob pena de ser responsabilizado por violar o artigo 5º, inciso XXXIII, da Constituição Federal. Além do mais, codifica o Decreto 201/67 as possibilidades para informações e neste contexto, a autoridade coatora (Prefeitura) exerce função ligada ao cumprimento da norma constitucional, não lhe assistindo o direito de inviabilizar as informações pretendidas pelo edil, que é eleito pelo povo.
Realmente se "eleva" divergentimente das demais gestões já realizadas pelo atual Prefeito de São José do Egito, Evandro Valadares, o novo mandato que ora desempenha em relação aos anteriores, numa avalanche de "erros" cometidos pela Administração, onde a avaliação "popular da Rua da Baixa" deixa desacreditado o governo mediante "egos" existentes e "erros" consistentes praticados pelo Executivo, ai entendido no conjunto administrativo. 
O blog, inclusive, já publicou uma matéria de punho de Cláudio Soares sobre a "saída" da Secretária, que era "quase" certa e não se concretizou, permanecendo até então e desconsiderando o Vereador que tem o dever de fiscalizar, tachando-o de analfabeto e complicando ainda mais a relação entre o Legislativo e o Executivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário